28 outubro, 2011

Andei pensando

28 de outubro de 2011.
Andei pensando, observando, pensando mais.
Gente sem noção, funcionário mal treinado. Parei em um desses espaços de alimentação dentro de um mercado. Pedi um folhado de espinafre e uma Coca-Cola. A atendente pegou um pratinho quadrado de alumínio que ainda estava com água da última lavada e me serviu o salgado. Pedi um canudo para tomar a Coca. Ela deu as costas e voltou com um canudo nu na mão. Sim, nu, desses desprotegidos. Nada de canudo embalado. Veio mesmo na mão. E por onde havia andado aquela mão? Com o que estaria mexendo?
Normalmente não tenho frescura. Comi e bebi como se nada tivesse acontecido, mas que achei uma tremenda "sem noção" e mal treinada, ah, eu achei.
Outro assunto: as bermudinhas em alta na cidade. Se eu estivesse no Rio de Janeiro ou em qualquer cidade praiana, nada de novidades. Parece que é mais normal, parece que os homens ligam menos para as curvas femininas e para as roupas mais justas. É como paisagem: lugares onde passamos no cotidiano por vezes nem são observados. Está ali, todos os dias, e já faz parte do comum. Turista vê, admira, fotografa, guarda a lembrança, acha lindo. Pois é: paulistano não vê bermudinha todo dia. Quando chega o calor, é aquele desfile. Muita curva, acentuada para mais ou para menos, muita peça justa, muitas pernas em exposição. Pescoços viram, quase se quebram, trânsito fica mais perigoso... Ah, mulheres... Que coisa mais linda, mais cheia de graça.
O final do dia quente foi especialmente bonito. Céu azul, bem azul na capital paulista, e aquela lua, pedaço fino de lua, acompanhava a Estrela D´Alva. Enquanto escrevo, não tenho a imagem para postar, mas incluirei aqui logo, logo.
Estou cansado. Dormi pouco, muito pouco nas duas últimas noites. Muito trabalho, como sempre, e necessidades urgentes. Então, vamos!
Que coisa! Um mundo diferente logo ali ao lado e nem nos damos conta. Realidades não vividas, que passam longe até dos pensamentos, mesmo sendo sabidas ou teoricamente lógicas. Adolescentes e drogas, adolescentes e álcool. Descaso. Preguiça. Objetivos sem resultado, sem horizonte. Que merda! Irritante, mas ando fingindo que nem me atinge mais.
Gabriela, minha companheira de sempre. Aline, minha companheira de "papo de nós dois". Amo vocês. Aline, você está linda. Que linda! Tem apenas que tratar do gênio explosivo, resmungão, respondão.
Fico por aqui.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home